Me inveje!

 

Na minha opinião, um dos sentimentos interessantes  na sociedade é a inveja. Afinal, sabendo que as pessoas não andam muito satisfeitas consigo mesma, não se sentem tão felizes como antigamente e sempre conseguem arrumar algo para nos criticar. Um sentimento que no dicionário é descrito como: sf (lat invidia) 1 Desgosto, ódio ou pesar por prosperidade ou alegria de outrem. 2 Desejo de possuir ou gozar algum bem que outrem possui ou desfruta. 3 O objeto que provoca esse desejo. Var: invídia. demonstra bem uma necessidade de ser uma outra pessoa. Afinal não dizem por aí que a grama do vizinho é mais verde que a nossa?
Pois então, inveja pode significar essa vontade humana de ser outra pessoa, de viver a vida do outro, na qual você não vê nenhum problema, só maravilhas. Ou pelo menos o desejo de ter alguma característica que o outro tem, a qual você sabe que se tiver irá revolver muitos dos seus problemas. É o sentimento da auto-negação aflorada. E sim, caso você tenha associado, é claro que uma pessoa que tem uma auto-estima mais baixa sofre mais disso. E esse sofrer não é o sofre do “ai, como isso doi”, e sim o sofrer do “ter, possuir”.
Afinal, quem nunca teve inveja?
Inveja é um sentimento natural, incontrolável, aliás, todo sentimento é (ninguém simplesmente ama e desama porque quer, se um amigo seu namorar com a menina que você gosta tenha certeza que não adianta falar que “legal, então eu não vou gostar mais dela”). É quase imperceptível, principalmente no começo, muitas vezes só sendo detectada pela pessoa depois de algum tempo, e por poucas pessoas, geralmente aquelas que tem o costume da auto-análise. Assim muitas vezes essa inveja é descrita pelo invejoso como raiva, ódio, antipatia e o clássico não-vou-com-a-cara-dele-mesmo.
Inveja não é um sentimento tão ruim assim, igual a todo sentimento “negativo”, depende da sua intensidade e de como a pessoa se dá com isso. Se a pessoa conseguir utilizar essa inveja para melhorar a si mesmo, melhorado suas qualidades para competir com o objeto da inveja, seria até considerado saudável. Mas se a pessoa começar a viver para essa inveja, ocupando seu tempo e sua mente em difamar o invejado, talvez até partindo para a agressividade. Se você começar a pensar que se encaixa na segunda, meu caro coleguinha, comece a fazer yoga para dar uma relaxada!
Acho que nessa coisa e dizer e só dizer, o melhor mesmo é apresentar exemplos. Então vou falar da minha vida. Sim, eu também invejo e reconheço isso! Era uma vez uma menina que falava mau da outra, afinal essa tinha um cabelo loiro oxigenado, todo quebrado e danificado e digamos que a escovinha dela não era muito bem feita. Depois de um tempo, percebi que essa fixação pelo cabelo da criatura era porque em termos de cara a menina do cabelo feia era bem melhor que  a minha. Mas por favor, que cabelo horroroso ela tinha!
Só que nessa história de inveja, vejo duas coisas interessantes ligadas à esse sentimento. Com esse sentimento na moda, houve uma grande banalização da inveja e uma grande necessidade de ser invejado. Não entendeu bulufas? Não é para menos, vou explicar melhor!
Se você conseguiu entender tudo o que eu já disse até aqui, percebeu que ódio e inveja andam juntas. Muitas vezes você inveja alguém e então diz que odeia ele. Mas, pasmem, o contrário não é válido. Nem todas as vezes que você odeia alguma coisa você tem inveja dessa coisa. Se eu não gosto de uma banda não é porque eu tenho inveja do sucesso dessa banda, simplesmente não vou com a cara das musicas (isso é bem válido para mim que não toco nada). Não é porque gosto de  um produto é porque tenho inveja de quem pode comprar, porque é caro. Deste mesmo modo não é porque eu odeio uma pessoa que tenho inveja dela. Pode ser, é uma possibilidade, uma possibilidade no meio de várias outras possibilidades. Afinal não é somente a inveja que faz outra pessoa dizer que tem ódio de algo.
De longe o mais curioso dos sentimentos que tem haver com a inveja é o “se sentir invejado”, uso isso porque não consigo usar uma palavra para simplificar a expressão. Mas o que seria isso? Principalmente se for mulher (nada contra, apenas sou grande conhecedora da classe por fazer parte da classe!!!), já deve ter dito algumas vezes o Não liga não, isso é inveja de você. Definitivamente isso faz bem. Sim, se sentir invejado eleva a auto-estima às alturas mesmo, afinal para que alguém tenha inveja de você, você tem que ter alguma coisa superior à ela ao ponto que ela deseje te aquilo. Isso faz muito, muito bem à pessoa, ela se sente na hora mais feliz consigo mesma, se coloca em um lugar acima no pódio. E associada com a banalização da inveja dita acima faz com que, mesmo que a pessoa não inveje, seja esse o diagnostico dado. Se isso é bom ou ruim, quem sou eu para dizer!
Mas enfim, a inveja não é exatamente essa coisa horrorendoza que é dito por aí. É uma cosia normal, que todos sentem e poucos admitem, muitos acusam.
Já invejou hoje?
Eu já!

 

Na minha opinião, um dos sentimentos interessantes  na sociedade é a inveja. Afinal, sabendo que as pessoas não andam muito satisfeitas consigo mesma, não se sentem tão felizes como antigamente e sempre conseguem arrumar algo para nos criticar. Um sentimento que no dicionário é descrito como: sf (lat invidia) 1 Desgosto, ódio ou pesar por prosperidade ou alegria de outrem. 2 Desejo de possuir ou gozar algum bem que outrem possui ou desfruta. 3 O objeto que provoca esse desejo. Var: invídia. demonstra bem uma necessidade de ser uma outra pessoa. Afinal não dizem por aí que a grama do vizinho é mais verde que a nossa?

Pois então, inveja pode significar essa vontade humana de ser outra pessoa, de viver a vida do outro, na qual você não vê nenhum problema, só maravilhas. Ou pelo menos o desejo de ter alguma característica que o outro tem, a qual você sabe que se tiver irá revolver muitos dos seus problemas. É o sentimento da auto-negação aflorada. E sim, caso você tenha associado, é claro que uma pessoa que tem uma auto-estima mais baixa sofre mais disso. E esse sofrer não é o sofre do “ai, como isso doi”, e sim o sofrer do “ter, possuir”.

Afinal, quem nunca teve inveja?

Inveja é um sentimento natural, incontrolável, aliás, todo sentimento é (ninguém simplesmente ama e desama porque quer, se um amigo seu namorar com a menina que você gosta tenha certeza que não adianta falar que “legal, então eu não vou gostar mais dela”). É quase imperceptível, principalmente no começo, muitas vezes só sendo detectada pela pessoa depois de algum tempo, e por poucas pessoas, geralmente aquelas que tem o costume da auto-análise. Assim muitas vezes essa inveja é descrita pelo invejoso como raiva, ódio, antipatia e o clássico não-vou-com-a-cara-dele-mesmo.

Inveja não é um sentimento tão ruim assim, igual a todo sentimento “negativo”, depende da sua intensidade e de como a pessoa se dá com isso. Se a pessoa conseguir utilizar essa inveja para melhorar a si mesmo, melhorado suas qualidades para competir com o objeto da inveja, seria até considerado saudável. Mas se a pessoa começar a viver para essa inveja, ocupando seu tempo e sua mente em difamar o invejado, talvez até partindo para a agressividade. Se você começar a pensar que se encaixa na segunda, meu caro coleguinha, comece a fazer yoga para dar uma relaxada!

Acho que nessa coisa e dizer e só dizer, o melhor mesmo é apresentar exemplos. Então vou falar da minha vida. Sim, eu também invejo e reconheço isso! Era uma vez uma menina que falava mau da outra, afinal essa tinha um cabelo loiro oxigenado, todo quebrado e danificado e digamos que a escovinha dela não era muito bem feita. Depois de um tempo, percebi que essa fixação pelo cabelo da criatura era porque em termos de cara a menina do cabelo feia era bem melhor que  a minha. Mas por favor, que cabelo horroroso ela tinha!

Só que nessa história de inveja, vejo duas coisas interessantes ligadas à esse sentimento. Com esse sentimento na moda, houve uma grande banalização da inveja e uma grande necessidade de ser invejado. Não entendeu bulufas? Não é para menos, vou explicar melhor!

Se você conseguiu entender tudo o que eu já disse até aqui, percebeu que ódio e inveja andam juntas. Muitas vezes você inveja alguém e então diz que odeia ele. Mas, pasmem, o contrário não é válido. Nem todas as vezes que você odeia alguma coisa você tem inveja dessa coisa. Se eu não gosto de uma banda não é porque eu tenho inveja do sucesso dessa banda, simplesmente não vou com a cara das musicas (isso é bem válido para mim que não toco nada). Não é porque gosto de  um produto é porque tenho inveja de quem pode comprar, porque é caro. Deste mesmo modo não é porque eu odeio uma pessoa que tenho inveja dela. Pode ser, é uma possibilidade, uma possibilidade no meio de várias outras possibilidades. Afinal não é somente a inveja que faz outra pessoa dizer que tem ódio de algo. 

De longe o mais curioso dos sentimentos que tem haver com a inveja é o “se sentir invejado”, uso isso porque não consigo usar uma palavra para simplificar a expressão. Mas o que seria isso? Principalmente se for mulher (nada contra, apenas sou grande conhecedora da classe por fazer parte da classe!!!), já deve ter dito algumas vezes o Não liga não, isso é inveja de você. Definitivamente isso faz bem. Sim, se sentir invejado eleva a auto-estima às alturas mesmo, afinal para que alguém tenha inveja de você, você tem que ter alguma coisa superior à ela ao ponto que ela deseje te aquilo. Isso faz muito, muito bem à pessoa, ela se sente na hora mais feliz consigo mesma, se coloca em um lugar acima no pódio. E associada com a banalização da inveja dita acima faz com que, mesmo que a pessoa não inveje, seja esse o diagnostico dado. Se isso é bom ou ruim, quem sou eu para dizer!

Aliás devo dizer que ao procurar imagens para enfeitar o post, achei 1001 imagens de “gifs” falando que “Sua inveja aumenta minha fama”. Isso deve dizer muita coisa…

Mas enfim, a inveja não é exatamente essa coisa horrorendoza que é dito por aí. É uma coisa normal, que todos sentem e poucos admitem, muitos acusam. T tenha certeza de uma coisa: se andar com um galho de arruda atráz da orelha espantase mau olhado, seus olhos já estariam a alguns kilometros de distância de você a anos!

Já invejou hoje?

Eu já!

~ por Misa Misa em 18/08/2009.

2 Respostas to “Me inveje!”

  1. Gostei mais ou menos mais é bomzinho…

  2. Muito bom seu tópico, falou tudo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: